Cisne Negro e Recuperação: Como superar as incertezas

Atualizado: 28 de Jul de 2020



Estamos diante de uma das mais intensas crises dos últimos tempos, principalmente para quem trabalha no Comércio Internacional. Como é possível manter o crescimento da sua empresa, mesmo durante a crise da COVID-19? Nesse post abordaremos a mentalidade e as estratégias necessárias para continuar prosperando mesmo em meio à pandemia.

Quando um evento incomum acontece, dificilmente estamos preparados para ele.

Como reagir a um cenário improvável? Qual caminho seguir quando todas as regras são rapidamente mudadas? São poucas as pessoas ou empresas que estão preparadas para um Cisne Negro, conceito criado pelo filósofo Nassim Taleb em seu livro “The Black Swan: The Impact of the Highly Improbable”.

Definição do conceito de Cisne Negro

Segundo Taleb, Cisne Negro é um ponto fora da curva, um evento inesperado e raro, com grandes ramificações, que nenhum modelo estatístico pode prever e que, geralmente, causa impactos profundos. Naturalmente, um evento de tamanho impacto e que pega a população, os países e o mercado financeiro despreparados, interfere diretamente na rotina diária de profissionais e empresas, causando grande instabilidade e preocupação.


Curiosamente, se observado de um ponto de vista um pouco mais amplo, o acontecimento de um Cisne Negro pode ser considerado óbvio e inevitável – eventos improváveis e inesperados podem ser considerados frequentes na história da humanidade, principalmente na história recente.

Portanto podemos concluir que é possível – e necessário – prever o imprevisível.

É necessário estar preparado para momentos de crise, investindo esforços em adaptabilidade, inovação e novas alternativas de sobrevivência durante crises profundas e inesperadas.

Se você quer entender um pouco mais sobre a linha de pensamento do filósofo Nassim Nicholas Taleb, recomendamos a leitura desse artigo.

Antifragilidade: a mentalidade ideal para superar a crise.


Não resta nenhuma dúvida que a pandemia do coronavírus é o cisne negro de 2020. Mas, como vimos, é imprescindível estar preparado para o imprevisível.

Adentramos em um desses cenários, em que economia e saúde estão a ponto de sucumbir. O comércio exterior é diretamente afetado pela crise e o mercado internacional está repleto de dúvidas sobre a continuidade das operações a curto e médio-prazo.

Com inúmeras vidas em risco, seja pelo fator de saúde pública ou pelas complicações econômicas que virão, é essencial estar preparado para sobreviver a essa turbulência e, principalmente, sair ainda mais forte dela.

É imprescindível que profissionais e empresas façam uma profunda reflexão sobre as ações necessárias para minimizar os impactos negativos dessa crise e, acima de tudo, adaptem suas mentalidades para identificar como absorver as mudanças repentinas que o coronavírus está causando em nossa sociedade.

Parte dessa reflexão nos traz a um outro conceito de Taleb – o de antifragilidade.

Ele classifica as pessoas e empresas baseando-se em como essas reagem diante de impactos, sendo: Frágil, Resistente ou Antifrágil.

As pessoas e empresas frágeis se quebram diante de um impacto dessa magnitude, ficando piores do que antes dele, sentindo as consequências por tempo indeterminado.

Talvez seja o cenário mais comum: estamos observando demissões em massa, ações despencando, parcerias se rompendo e empresas se fragilizando.

Pessoas e empresas que se enquadram na classificação de resistentes se mantém inalteradas – são capazes de absorver parcialmente os impactos de uma crise repentina, mesmo sofrendo algumas quedas, e continuam a operar no mesmo nível de antes.

Organizações e profissionais classificados como antifrágeis no conceito de Taleb são aqueles que se enquadram no cenário ideal diante de um Cisne Negro. Absorvem perfeitamente os impactos, muitas vezes por conta de um planejamento bem feito anteriormente, são capazes de minimizar ao máximo as consequências negativas, quase sempre inovando e se adaptando diante da situação adversa e, acima de tudo, analisam as informações e dados provenientes da crise, desenvolvendo novos conhecimentos para que estejam ainda mais fortes quando a tempestade passar.

Planejamento, inovação e adaptabilidade.


É importante ressaltar que, por mais que seja parte importante do processo, a mudança de mentalidade, por si só, não será responsável por como você ou sua empresa passarão por esses dias difíceis. É fundamental aliar essa mentalidade com ações pautadas em inovação e adaptabilidade.

Gigantes do mercado surgiram diante de crises, como a Uber e a Airbnb, frutos da crise econômica de 2008. É o caso de enxergar oportunidade em momentos de necessidade.

Organizações que se mantiveram por muito tempo resistentes à ideias como a de trabalho remoto ou de reuniões a distância foram forçadas a testarem esses modelos, e os resultados, em grande parte, foram bastante positivos.  Não será surpresa alguma se observarmos uma grande mudança nas tendências de formatos de trabalho e de troca de informações nos próximos tempos.

Empresas que estão lidando bem com a crise do coronavírus estão reinventando sua forma de fazer negócios, vender produtos e oferecer serviços. Ao enxergar oportunidades em meio a crise, é essencial estar pronto para inovar e extrair o máximo possível de benefícios das novas tecnologias que temos a disposição.

O consumo de conteúdo e conhecimento, por exemplo, passou a se concentrar ainda mais nas plataformas digitais. Escolas que já aplicavam alguns conceitos considerados inovadores em seus métodos de ensino, como a estruturação de plataformas digitais para os alunos e professores, sem dúvida alguma estão se destacando, passando por esse momento turbulento com muito mais tranquilidade e tornando-se referências em um mercado que, muito provavelmente, manterá o status de tendência nos próximos anos.

É importante citar a nossa experiência própria em um cenário parecido. Participamos como co-organizadores do 17º Fórum de Internacionalização de Empresas no mês de março, fazendo parte da equipe que desenvolveu todo o processo de divulgação e estruturação, além de palestrar no evento. Pela primeira vez em suas 17 edições, o evento foi realizado 100% online e um sucesso em todos os sentidos. Como exemplo, tivemos o maior número de inscrições da história do evento – em torno de 500 inscritos.

Desse novo formato, já extraímos inúmeros insights para estratégias que serão aplicados frequentemente nos próximos Fóruns de Internacionalização, sendo realizados diante de crises como esta ou em tempos considerados normais.

Soluções para o Comércio Exterior durante a crise


Os mercados de comércio exterior, negócios internacionais e exportações/importações estão entre os mais afetados pela crise.

Diante de inúmeros países fechando suas fronteiras, empresas do setor estão enfrentando dificuldades reais para manter suas operações saudáveis.

Como agir e manter o fluxo de caixa da minha empresa se meus produtos não podem mais chegar aos meus distribuidores e consumidores?

Para nós é evidente que um movimento de cooperação e colaboração a nível global seja uma das formas mais eficientes de combater a crise. Mesmo que não seja exatamente o que está acontecendo nesse momento, não há motivo para desespero, mas sim para adaptação, inovação e identificação de oportunidades.

  • Mercados de Rápida Recuperação ou Baixo Impacto

Ao mapear constantemente o mercado de exportações e importações, principalmente focados em empresas que tem potencial para serem importadoras de produtos brasileiros (ou de empresas brasileiras), temos previsões otimistas sobre alguns mercados que se recuperarão mais rapidamente da crise e, consequentemente, normalizarão suas operações em menor tempo.

Identificamos também mercados menos afetados atualmente pelo coronavírus que não tiveram tantos impactos em seus processos de importação, o que abre a possibilidade para que empresas que já exportam abram novos mercados, expandindo suas vendas a nível global.

Nesse caso específico, aplicar estratégias de aberturas de novos mercados pode ser uma solução imediata para se proteger dos impactos imediatos da crise e, principalmente, para expandir seus negócios e obter resultados valiosos no longo-prazo.

  • E-commerce Cross-Border

Durante essa pandemia, estamos nos aprofundando na modalidade de Comércio Eletrônico Cross-Border, onde fomos capazes de estruturar um processo de operação e-commerce muito eficaz e rentável.

A modalidade de comércio virtual internacional já estava mapeada em nossos planos de curto e médio-prazo, mas aceleramos o desenvolvimento dessa solução para nossos clientes, visto que estratégias vinculadas ao E-commerce Cross-Border tendem a funcionar cada vez melhor para empresas brasileiras.

Para quem não tem familiaridade com o conceito, o E-commerce Cross-Border é o comércio online transacional – a exportação de produtos por meio de sua loja digital para consumidores em outros países. Em outras palavras, é a internacionalização das operações do seu comércio eletrônico.

É possível, mesmo durante a crise, que o seu produto chegue ao seu consumidor final em qualquer parte do mundo, principalmente em mercados pouco explorados por empresas brasileiras, o que pode ser um dos pilares de resistência e estabilidade da sua empresa.

Desenvolvemos, inclusive, uma operação específica para superar uma das principais barreiras do comércio eletrônico brasileiro entre fronteiras – as complicações logísticas.

  • Estratégias para Reabertura de Mercados

Entre outras estratégias, planejamos ações efetivas para que o momento de reabertura dos mercados considerados tradicionais no segmento de exportação e importação seja o mais proveitoso possível para nossos clientes e parceiros. A retomada de dezenas de Economias no planeta será uma grande oportunidade de expandir vendas e fechar novos negócios valiosos.

O momento que vivemos pode se apresentar como uma oportunidade única de restruturação de operações vigentes, assim como ideal para focar no planejamento, na implementação de soluções mais complexas e para que você desenvolva estratégias inovadoras em seus mercados ativos.

E você? O que tem feito para inovar, se adaptar e para garantir que sua empresa, seus colaboradores e seus parceiros saiam ainda mais forte dessa crise? Escreva nos comentários.

Enquanto isso, mantenham-se saudáveis.


Não é necessário dizer que, para que tudo isso que foi dito se torne possível, é importante que todos estejamos saudáveis e protegidos contra a pandemia do coronavírus.

Em meio a esse momento turbulento, deixamos a nossa sincera consideração aos profissionais da saúde, aos cientistas, aos pesquisadores e a todos os profissionais que se mantém em atividade durante essa quarentena, garantindo que a sociedade continue a funcionar normalmente.

Recomendamos que todos sigam as orientações da Organização Mundial de Saúde, que respeitem a quarentena, sempre que possível, para que, quando tudo volte ao normal, todos possamos estar prontos para continuar colaborando para o crescimento da participação do Brasil no Comércio Mundial.

14 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo